segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Especial Estudiantes Pentacampeão – Parte 4 – O fim da fila de 23 anos

historia-y-jugadores-del-campeon-estudiantes-de-la-plata5 Mais de duas décadas passaram, o Estudiantes viu passar grandes jogadores por La Plata e uma sina deixava a torcida aflita, nada de vencer o campeonato nacional. Duas partidas naquele semestre final de 2006 ficariam marcadas para sempre na história do Pincha.

Por La Plata passaram El Loco Palermo, Bernardo Romeo, Scaloni, Pavone e La Brujita Verón sem uma conquista entre 1983 e 2006, quando Verón retornou da Europa para fazer suas feitiçarias na terra natal.

A campanha

gimnasia7A volta do ídolo e o início promissor davam sinais de que coisas boas viriam para os comandados de Diego Simeone, no entanto maus resultados entre a quarta e a sétima rodada tiraram o time das primeiras posições. Depois disso a recuperação. Dez vitórias seguidas, uma goleada histórica por 7 a 0 contra os maiores rivais, Gimnasia y Esgrima e o empate no número de pontos com o Boca levaram ao jogo de desempate. Os xeneizes precisavam apenas de um ponto nas duas últimas rodadas para confirmar o título, mas perderam para Belgrano e Lanús.

gimnasia7up Antes de falar da final, vale um adendo, a vitória por 7 a 0 foi a maior goleada no clássico platense, marcaram Calderón (3), Diego Galván (2), Pavone e Luguercio. Mesmo não marcando gols, Verón teve participação efetiva, duas assistências e outras participações nos gols com belos lançamentos. A goleada rendeu inúmeras gozações, como nas imagens ao lado.

Na decisão o rival era o Papa Taças Boca Jrs, campeão do Apertura 2005 e Clausura 2006, além das Copas Sul-Americanas de 2004 e 2005 e Recopa dos mesmos anos. Contudo, o Estudiantes não se apavorou e mesmo tendo levado o gol logo aos 4 minutos, soube ter paciência mesmo com a expulsão de Alvarez (e Ledesma pelos xeneizes) e foi recompensado aos 64’ com Sosa. O Estádio José Amalfitani lotado parecia vir abaixo quando aos 80’ Pavone marcou o gol do título.

O time de Simeone terminou com 15 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. A defesa foi a menos vazada, 12 gols e o ataque o segundo melhor com 35 gols. Essa seria a base da equipe campeã da América em 2009, com Andújar, Ageleri, Braña, Verón e Benítez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário