terça-feira, 10 de agosto de 2010

O retorno do talento à seleção

1282962_full-lnd A nova seleção brasileira de Mano Menezes estreiou com muitos novatos e até por isso com certo nervosismo e insegurança em New Meadowlands, nos Estados Unidos. Mas o talento brasileiro rapareceu e tudo mudou. Confesso que ver Ganso com a camisa 10 da seleção canarinho foi empolgante e fiquei com aquela vontade de ver a seleção com a garotada e a prometida ofensividade.

Os americanos pressionaram no início, entretanto o tempo foi passando e os atletas foram ganhando segurança. Mano pedia lançamentos longos para fugir da pressão e do nervosismo inicial. Curiosamente quem errou mais no começo foi o veterano Dani Alves, que esteve na Copa e é titular do poderoso Barcelona.

Robinho armava ao lado de Ganso e às vezes Ramíres. David Luiz – que lembra o jogador de basquete Anderson Varejão - e Thiago Silva trocavam de lado e passavam segurança na defesa.

Tabelas, triangulações, jogadores se deslocando para receber a bola na frente. O talento retornava ao Scratch. A bola passava de pé em pé, sem mais chutões.

Aos 27 veio o gol, Neymar marcou de cabeça para o Brasil após cruzamento de André Santos. O primeiro do garoto do Santos, que Dunga preferiu ignorar.

Quatro minutos depois foi a vez de Pato, o outro atacante marcar, mas o bandeira anulou corretamente, pois o atacante empurrou o goleiro.

Ganso, Robinho, Pato e Neymar trocavam passes e envolviam a defesa americana no chamado ‘toco y me voy’, aqui conhecido por um dois.

Aos 45’ Ganso viu Ramíres livre e o ex-cruzeirense enxergou Pato e com dois passes deixou o0,,42946897-EX,00 atacante Rossoneri na frente de Howard. Na frente do gol o atacante driblou o goleiro de saiu pra comemorar. Como disse o jornalista Leonardo Bertozzi por meio de seu twitter, Pato, a exmplo de David Luiz e Thiago Silva, são titulares para uma década na seleção nacional.

Veio o segundo tempo e com menos de um minuto Pato perdeu gol incrível após assistência de Robinho. O Brasil valorizava a posse de bola e apostava no toque de bola. Aos 7’ Robinho acertou a trave americana.

Com menos de 15 minutos Mano fez a primeira mudança, Hernanes negociado com a Lázio no lugar de Ramíres, reforço do Chelsea. Logo depois Neymar recebeu na área, pedalou e chutou para a defesa do goleiro. Cinco minutos depois André entrou no lugar de Pato e formou o quarteto do Santos no ataque da seleção.

No entanto que quase marcou outro foi Neymar, o atacante – o melhor em campo – recebeu passe longo e chutou em cima do goleiro. Daí chegou a vez do jovem santista deixar o campo para a estreia de Ederson do Lyon. Uma das surpresas de Mano jogou menos de um minuto e em seu primeiro lance se machucou, Carlos Eduardo entrou sem seu lugar.

O Brasil dominava a partida e por pouco não ampliou aos 32’ em chute de Ganso de fora da área, a bola encontrou a trave e depois esbarrou no goleiro. Faltavam dez minutos e Tardelli substituiu o capitão Robinho.

Ainda deu tempo para Carlos Eduardo perder gol feito em jogada de André Santos e chute de André. O ex-gremista chutou fraco no canto e o goleiro pegou. E deu tempo também para a estreia de Jucilei, no lugar do craque Ganso. Fim de jogo, Brasil 2x0 Eua.

Com o pouco tempo que teve para treinar a equipe, a seleção de Mano teve ótimo domínio de jogo, troca de passes e em nenhum momento correu riscos contra a entrosada seleção americana. Deu gosto de ver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário