segunda-feira, 26 de abril de 2010

A Copa da publicidade

Como acontece em todos os anos de Copa do Mundo, a publicidade faz sua parte e de março até julho dezenas de comerciais falam sobre o maior evento do futebol. Mas convenhamos que algumas dessas propagandas, são simplesmente irrelevantes, não possuem nenhum vínculo da Copa com o produto anunciado.

Por mais que empresas de grande porte como a Brahma, que pela primeira vez patrocina o mundial já estejam acostumadas a usar o esporte preferido dos brasileiros como tema, às vezes as publicidades tornam-se batidas. Um exemplo disso é o comercial com Luis Fabiano e a seleção contra todas as outras.

Este exemplo ainda não é dos piores. O que dizer do apresentador Ratinho entrando em campo com a Milene Domingues? Você achou ruim? Mas não é só isso, até mesmo o técnico Dunga entrou na farra e é a estrela do comercial da operadora de telefonia Oi. Confesso que não consigo assistir aos cansativos minutos e troco de canal.

Entretanto, há aquelas que são mais originais ou engraçadas que caem no gosto do público. Seria essa então a fórmula para fazer uma boa publicidade? Basta lembrar das propagandas da Pepsi, sempre originais e com atletas fazendo aquilo que sabem fazer, jogar futebol. O mais recente conta com craques como Messi, Kaká, Drogba e Henry jogando uma 'pelada' em um campo africano com as pessoas formando as linhas do gramado.



Em 2006 a mesma Pepsi contou com Roberto Carlos, Ronaldinho Gaúcho, Beckham, Henry, Raul, Torres e Lampard em uma festa alemã estrelando um desafio engraçado e criativo. Além dos mais antigos com Denilson e Guga. Em 2002 antes da Copa da Ásia, Roberto Carlos aparece em outro comercial, desta vez ele engana os orientais ao bater uma falta.



Além destas propagandas, outras marcas também costumam usar a criatividade e o futebol. A Adidas em 2006 fez um daqueles comerciais que dá vontade de esperar em frente à Tv a sua execução. Ballack, Lampard, Platini, Klinsmann, Zidane, Riquelme, Kaká, Beckham, Oliver Kahn e meninos disputam uma partida em um terrão, quando a mãe de um dos meninos, o José, o chama para casa. O garoto pega sua bola e vai para casa, deixando todos perplexos.



A fabricante de cerveja Heineken é famosa pelo patrocinio da Champions League, mas seus comerciais geram comentários em todas as rodas de discussão de futebol. Mais uma vez o atrativo é a imaginação dos autores que fogem do comum. A nacional Antartica em 2006 teve esse lampejo de criatividade e agradou a todos (menos aos argentinos) ao convidar o ídolo rival a fazer a propaganda com a camisa brasileira, como se fosse um sonho ou pesadelo do hermano.

Se o retorno dos produtos anunciados serão realmente eficazes, isso somente o tempo irá dizer. Mas o fato é que quanto mais inovador e cômico for, mais são as chances de que daqui quatro, oito ou dez anos ele seja lembrado, e consequentemente a sua marca.

Um comentário:

  1. Muito bom o texto e os comerciais...é bom relembrar esses filmes publicitários que são bons, não apenas campanhas ruins como a da Oi...Abraços

    ResponderExcluir