domingo, 4 de outubro de 2009

Quatro equipes lutam pela African Champions League

A African Champions League começa a definir hoje os seus finalistas e poderá ter um campeão inédito. Dois clubes nigerianos, um congolês e um sudanês disputam o sonhado troféu. Ao todo 25 equipes diferentes já levantaram o caneco, que começou a ser disputado em 1964 e teve Oryx Douala de Camarões como campeão.

Kano Pillars e Heartland da Nigéria se enfrentam para definir qual clube representará o país na final. Do outro lado da chave o Al –Hilal do Sudão joga com o único campeão ainda vivo na liga, o Mazembe da Rep. Democrática do Congo.

A Nigéria e a Rep. Democrática do Congo já tiveram vencedores. O Sudão nunca. Pela Nigéria o Enyimba F. C. foi bicampeão em 2003 e 2004. Já a Rep. Democrática do Congo viu o TP Mazembe (antigamente chamava-se TP Englebert) ser bicampeão em 1967 e 1968 e em 1973* o AS Vita Club.

*Entre 1971 e 1997 o país recebeu o nome de Zaire, devido ao golpe militar liderado por Mobutu.

Em 1992 o Sudão esteve perto de levar a Champions League com o próprio Al–Hilal, mas uma derrota por dois a zero e um empate sem gols em casa com o Wydad Casablanca acabou com o sonho. Esta não foi a primeira vez que o Al-Hilal chegou à final. Em 1987 o clube foi derrotado pelo Al Ahly do Egito.

Al Ahly fora

Ganhador de 4 títulos nos últimos 8 anos, o Al Ahly, maior vencedor com 6 conquistas, foi eliminado de forma precoce. O papa-títulos africano - atual campeão - caiu na terceira eliminatória, sem ao menos ter perdido. Foram 4 jogos, 2 vitórias e 2 empates. O carrasco foi o nigeriano Kano Pillars, que terminaria a fase de grupos em segundo lugar e garantiria a vaga na semifinal.

Os confrontos

É com a moral de ter eliminado o maior ganhador da liga que o Kano Pillars chega para o confronto local. O título nacional inédito conquistado em 2008, com um ponto de vantagem sobre o segundo colocado (seu adversário de hoje) credencia ainda mais o clube.

O seu adversário, o Heartland, também precisou suar a camisa para chegar às semifinais. Na terceira eliminatória passou pelo vice-campeão do ano passado, o camaronês CotonSport. Vale lembrar o último confronto entre as equipes aconteceu dia 06 de junho pela 37ª rodada do campeonato nacional, e deu Heartland 2 a 1.

O Al –Hilal mostrou dependência de sua casa. Foram 5 jogos com 5 vitórias, 11 gols a favor e apenas 2 contra.

Já o Mazembe foi o clube de melhor campanha na fase de grupos com 4 vitórias, além de ter conseguido o ‘feito’ de vencer um jogo longe de seus domínios nesta fase. Somente o Mazembe e o eliminado Zesco United da Zâmbia venceram quando jogaram como visitantes.

Africanos na UCL

A Liga dos Campeões da Europa possui 46 jogadores africanos somente entre os clubes que disputam a fase de grupos. A divisão dos atletas entretanto é desigual, pois dos 32 clubes, 11 não contam com africanos.

Curiosidades

Os destaques são Didier Drogba (Chelsea) e Samuel Eto’o (Inter de Milão).

Costa do Marfim e Nigéria são os países que mais contribuem com os clubes europeus da UCL, com 11 e 9 atletas, respectivamente.

Nenhum goleiro africano consta na lista.

O Marseille é o clube com mais jogadores africanos, são 6 no total, se todos fossem titulares, seria mais de meio time.

Relação do jogadores africanos que disputam a fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa

Milan - Não têm africanos.

Fiorentina - Não têm africanos.

Apoel FC - Não têm africanos.

Arsenal – Emmanuel Eboué (Def – Costa do Marfim)

Alexandre Song (Med – Camarões)

AZ – Mounir El Hamdaoui (Ava – Marrocos)

Besiktas – Não têm africanos.

Chelsea – Michael Essien ( Med – Gana)

John Mikel Obi (Med – Nigéria)

Didier Drogba (Ata – Costa do Marfim)

Salomon Kalou (Ata – Costa do Marfim)

Atlético de Madrid – Não têm africanos.

Debreceni Hungria – Não têm africanos.

Barcelona – Seydou Keita (Méd -Mali)

Yaya Touré (Méd – Costa do marfim)

Bayern – Não têm africanos.

Dínamo Kiev – Pape Diakhate (Def - Senegal)

Ayila Yussuf (Med – Nigéria)

Badr El Kaddouri (Med – Marrocos)

Bordeaux - Marouane Chamakh (Ata – Marrocos)

Inter de Milão – Selley Muntari (Méd – Gana)

Joel Chukwuma Obi (Méd – Nigéria)

Samuel Eto’o (Ata – Camarões)

Porto – Não têm africanos.

Rubin Kazan – Macbeth Sibaya (Def - África do Sul)

Unirea ROM – Não têm africanos.

Zurich SUI - Onyekachi Okonkwo (Méd – Nigéria)

Yassine Chikhaoui (Méd – Tunísia)

Juventus - Mohamed Sissoko (Méd – Mali)

Liverpool – Não têm Africanos.

Maccabi - Tsepo Masilela (Def – África do Sul)

Manchester United – Não têm africanos.

Olympiacos - Jaouad Zairi (Medi – Marrocos)

Marseille - Taye Taiwo (Def – Nigéria)

Souleymane Diawara (Def – Senegal)

Charles Kaboré (Méd – Burkina Faso)

Stéphane Mbia (Méd – Camarões)

Mamadou Niang (Ata – Senegal)

Bakari Koné (Ata – Costa do marfim)

Lyon - Jean II Makoun (Méd – Camarões)

Cska Moscow - Chidi Odiah (Def- Nigéria)

Sekou Jabateh Oliseh (Méd – Nigéria)

Maazou Ouwo Moussa (Ata – Niger)

Ganiyu Bolaji Oseni (Ata – Nigéria)

Liege BEL - Mohamed Sarr (Def – Senegal)

Dieudonné Mbokani (Ata – Congo)

Moussa Traore (Ata – Costa do Marfim)

Gohi Bi Cyriac (Ata – Costa do Marfim)

Rangers - Madjid Bougherra (Def – Argélia)

Real Madrid - Mahamadou Diarra (Méd – Mali)

Sevilla - Didier Zokora (Méd – Costa do marfim)

Ndri Romaric (Méd – Costa do marfim)

Arouna Koné (Ata – Costa do Marfim)

Frédéric Kanouté (Ata – Mali)

Stuttgart - Arthur Boka (Def- Costa do marfim)

Wolfsburg - Karim Ziani (Méd - Argélia)

Obafemi Martins (Ata – Nigéria)

Nenhum comentário:

Postar um comentário