sábado, 8 de novembro de 2008

Soccer is a little box of surprise

Soccer is a litle box of surprise
A frase acima é de ninguém menos que o rei do futebol, isso mesmo, Pelé adaptou o famoso clichê, “o futebol é uma caixinha de surpresas” ao ser entrevistado por um repórter estrangeiro na época da Copa de 2006. Como soube disso?
No último sábado Vinicius Bacellar e eu participamos de um curso com alguns dos melhores jornalistas esportivos do país. Mauro Beting, André Kfouri, Antero Greco e PVC, nesta ordem, conversaram, trocaram opiniões, contaram histórias e contaram um pouco sobre como é o trabalho deles, meus (futuros?) companheiros de profissão.
Mauro Beting foi o primeiro a se apresentar, e fez um verdadeiro bate-papo com os presentes, falou sobre paixão pelos clubes, sobre seu trabalho na TV, no jornal, nas revistas e sobre seu blog http://www.lancenet.com.br/blogs_colunistas/mauro/default.asp. Conhecemos ali o outro lado do jornalista que se na TV é extremamente profissional e sério, fora dele é engraçadíssimo. Ele conta que adora camisa de times de futebol e “se pudesse ia trabalhar todo dia com a camisa do meu time”, conta ele, palmeirense roxo. Porém ele dá um jeito de usar sua roupa favorita. “Como não posso usar no trabalho, eu uso pra dormir, ir a festas...”.
Enquanto conversávamos sobre o campeonato brasileiro, sobre jogos e trabalho, assistíamos um jogo histórico entre Boca e Santos, pela Libertadores de 1963.
Quando o tempo acabou, em seguida entrou o jornalista da ESPN e do Lance, André Kfouri, filho de Juca Kfouri. Ele contou um pouco sobre suas histórias que deram certo, como a entrevista com o ex-tenista Guga no Havaí, e recentemente com o nadador César Cielo, na cobertura das Olimpíadas. André disse também que não se vê como comentarista, no momento. “Existem três tipos de comentaristas, o ex-jogador, o que conhece tática e os jornalistas da velha guarda, não me enquadro em nenhuma”, diz.
Após o intervalo Antero Greco nos aguardava na recepção. Antero que é editor chefe de esportes no Estadão, falou sobre sua carreira, fatos, episódios marcantes com Luxemburgo, Pelé e colegas de profissão. Ele abordou a reportagem, a cobertura, as questões éticas e profissionais do jornalista. Quem assiste Sport Center já conhece as piadas do jornalista, porém suas imitações são simplesmente fantásticas. Trajano, Luxemburgo, Pelé entre outros fazem parte do seu leque.
Por fim, Paulo Vinicius Coelho, o PVC, falou sobre o campeonato brasileiro, a Fórmula 1, sobre suas pesquisas e seu amor pelo futebol, que surgiu na infância e ele não deixa desaparecer. A possibilidade de três equipes chegarem na última rodada do Brasileiro 2008 com chances de ser campeão é única na história da competição, e a última vê que isso ocorreu no país foi há mais de 50 anos, no carioca.
Prevista para acabar às 18h atrasou um pouco, por causa das inúmeras opiniões e conversas. Sabe aquela conversa de bar com os amigos, tomando uma cerveja e falando de futebol?foi exatamente isso com pessoas que sabem muito sobre futebol, mas sem a cerveja.

4 comentários:

  1. É isso ai seu Safado... Tem que meter as caras e fazer todos os cursos que eu mandar pra vc...hahahahaha
    Ainda bem que vc aproveitou... Fiquei feliz.
    Bjunda
    :-P
    PS: Como agradecimento pode fazer depois uma matéria falando do Tri-Brasileiro do meu time.

    ResponderExcluir
  2. hauhauhauhaa, mto lk o curso, agora é esperar o comunique-se....huahaa abraçooo

    ResponderExcluir
  3. Cara como eu queria ir nesse outro.

    ResponderExcluir
  4. é isso ai peixe, pena que o Pelé era jogador de futebol e não pensador, por que iria ser muito mais divertido.

    Depois não diz que eu não acesso seu blog.

    ResponderExcluir